Carta de repúdio aos Ataque aos grupos de WhatsApp do Apostolado Tradição Católica

Devido aos ataques que recebemos em nossos grupos de WhatsApp no fim de 2015, tornamos pública uma carta de repúdio que envianmos ao reverendíssimo Padre Anderson Batista de Niterói, Rio de Janeiro, que é pároco na Igreja onde os dois indivíduos responsáveis pelos ataques aos nossos grupos frequentam.

Assunto:   Ataque aos grupos do Apostolado Tradição Católica
De:   Tradição Católica <*********@tradicaocatolica.com>
Data:   Sat, January 9, 2016 7:07 am
Para:   padreanderson******@******.com

Sua benção Padre,

Me chamo Paulo, sou um dos fundadores do apostolado que mantém hoje a página Tradição Católica (www.facebook.com/TradicaoCatolica) e o site www.tradicaocatolica.com, além de vários grupos de WhatsApp com a intenção de difundir a fé católica.

Estou entrando em contato com o senhor por meio deste e-mail devido a um gravíssimo acontecimento envolvendo dois fiéis de sua paróquia, chamados ⁠⁠⁠Rodrigo M******* e Andréia O*******, respectivamente.

Ambos, na maior maldade possível, se é que assim podemos definir, em um ato criminoso e de forma totalmente injustificável, articularam um esquema para derrubar nossos grupos e consequentemente, enganar e excluir os fiéis os quais estavamos ensinando a doutrina da Igreja.

Caro padre, nesses grupos, existiam várias pessoas não convertidas e algumas, recém convertidas ao catolicismo, aos quais estavam contentes com os ensinamentos que estavamos transmitindo e ainda mais, estavam maravilhados com a riqueza que a Igreja têm para oferecê-los.

Acontece que, com o ataque proferido pelos dois indivídios já citados, estes foram excluídos e ficaram sem nenhuma justificativa do ocorrido, pois perdemos todo o contato.

O que essas pobres almas poderiam pensar? Que não as queríamos mais alí e as expulsamos. Indiretamente, este é um perigo para a fé dessas pessoas que queriam aprender um pouco mais, – um pouquinho – do que nós, leigos, sabemos e tentamos transmitir, para o bem da Igreja.

Escrevo-lhe, não para tentar reparar ou recuperar os grupos, os mesmos já não existem mais e não podem ser recuperados de maneira alguma. Mas cremos que o senhor, como guia espiritual deles, possa guiá-los e fazê-los entender a gravidade de seus atos.

No âmbito judicial, já recorremos à polícia para que a mesma abra um inquérito e o encaminhe para o poder judiciário, segundo a nova lei do Marco Civil da Internet. Muito provavelmente em breve receberão uma intimação para uma audiência, onde as provas que coletamos serão apresentadas ao juíz responsável.

Peço novamente a sua benção e desculpas por consumir seu precioso tempo.

Obrigado,
Apostolado Fora da Igreja Não Há Salvação
www.tradicaocatolica.com
Tradição Católica